Penalva do Castelo

 

Com uma área de 135,93km2, o concelho de Penalva do Castelo é limitado a norte por Sátão, a sul por Mangualde, a nordeste por Aguiar da Beira, a leste por Fornos de Algodres e a oeste por Viseu. Subdivido em 13 freguesias, com 8.799 habitantes – Antas, Castelo de Penalva, Esmolfe, Germil, Ínsua, Lusinde, Mareco, Matela, Pindo, Real, Sezures, Trancozelos e Vila Cova do Covelo – tem o seu feriado municipal a 25 de Agosto. É um concelho essencialmente agrícola, onde se produzem vinhos de qualidade, a maçã Bravo de Esmolfe e o queijo da serra. À semelhança de outros concelhos, também existem em Penalva do Castelo vestígios de povoamento Celta e Romano. O seu nome teve origem na antiga fortaleza construída na margem direita do rio Alva, da qual, infelizmente, já não existem vestígios. Dos seus monumentos mais emblemáticos ficam-nos o Solar dos Albuquerques, o Pelourinho de Penalva do Castelo, as pontes romanas, as ruínas do Mosteiro do Santo Sepulcro, entre muitos outros. O seu artesanato mais notável são os latoeiros, os esteireiros, a cestaria, os tanoeiros, os fogueteiros e a cantaria em granito. Com uma gastronomia tão variada e rica em sabor, limitamo-nos a indicar os mais importantes tais como o caldo casado (unto com azeite), o caldo de cebola, as papas laberças, os torresmos de vinho de alhos com batatas à racha, o arroz de favas, o feijão guisado com toucinho e chouriço, a açorda de pão de trigo com bacalhau e ovos, etc.